DESERTIFICAÇÃO NO CEÁRA

O que faremos contra a desertificação aqui no Ceará? Viajamos pelo Estado. Onde tinha florestas tudo era verde, onde somente tinha sertão, reinava uma seca mortífera. Os pastos queimados pelo sol, o sertão seco, nenhum córrego, nenhum rio, somente de vez enquanto uma árvore verde, uma algarobeira, que se considerava praga. Mas era o único verde onde mesmo a jurema não tinha mais folhas. Umas cabras pingadas tentavam achar alguma coisa comestível. Roeram cascas da jurema ou pulavam para alcançar um galho de algaroba. E seus donos queimavam o capim e os arbustos secos para forçar a rebrota e arrumar forragem para seus animais.

Observamos uma comissão que veio de Israel para ensinar o combate ao deserto. Sua receita era irrigação e se os rios eram secos então tinha de perfurar poços artesianos. Em Israel deu certo. Até injetavam uma camada de pixe em 40 cm de profundidade para evitar que a água de irrigação se perca para o subsolo. E toda terra irrigada também é drenada.

Apreenderam com os Babilônios que somente irrigar saliniza os solos. Ao longo do Rio São Francisco também já fizeram esta experiência.
E o profeta Isaias previu o fim do império poderoso dos caldeus graças a salinização dos seus solos. Mas em Israel, via de dúvida consultam a bíblia e sempre deu certo. O que os antepassados fizeram foi o correto. Mas aqui
não tem bíblia que pode dar conselhos nem compatriotas ricos que doarem dinheiro para ajudar na recuperação do Estado.

O que fazer no Ceará contra a desertificação?
Vou lhe da a receita como se criam desertos, depois vocês podem resolver o que fazer! É muito simples. . .

1- Fazer tudo para que o solo se compacta na superfície e a água da chuva não penetra, mas escorre.. Aí a terra não umedece, ou somente muito pouco mas em contrapartida tem enchentes fabulosos de modo que vocês estão sempre flagelados, uma vez pela seca e outra vez pela chuva. Uma situação intermediária já não existe mais. Se não chove faz mal porque tudo seca e se chover faz mal porque há enchentes.

2-importante é: abrir o caminho para um vento seco. Este leva a pouca umidade que penetrou no solo dentro de 12 horas..
É tudo? É. Nada de dunas de areia que migram cobrindo tudo?
Exato, areia seria aqui o suficiente.. Mas não precisa de dunas.

O agrônomo me olha e depois disse: ”As cabras são a salvação do Nordeste.” Olhei surpreso. “Para mim são a perdição do Nordeste.” Onde há cabra não vinga mais árvore e os pastos ficam muito mais cedo secos do que os onde há alguma proteção contra o vento. E, por isso se queima. O solo não recebe mais nenhuma matéria orgânica e sua vida morre. Os grumos se desfazem, os poros desaparecem. A chuva bate no solo desnudo e o compacta ainda mais.

Sabe o que, a destruição do Meio Ambiente não se corrige por obras faraônicas, nem pela química, nem pela mecânica. A destruição atingiu a parte biológica, a vida, e somente pode ser corrigida biologicamente, ou como os africanos dizem: ecologicamente.


Dou lhe um conselho: caça todas as cabras e dá para as famílias pobres uma cesta básica durante dois anos. Neste tempo plantem árvores e arbustos para romper a força do vento e tratem a superfície do solo com matéria orgânica, restôlhos, adubação verde, bagaço, serragem, casca de arroz enfim o que tiver. Com o solo poroso e pouco vento devolvem ao Estado sua abundância.

Nenhum comentário:

Postar um comentário