COQUETEL DE PLANTAS PARA RECUPERAÇÃO DE SOLOS DEGRADADOS

COQUETEL DE PLANTAS
Sistema muito eficiente de recuperação de solos degradados.

Objetivo: Promover a biodiversificação e recuperar terras esgotadas, empobrecidas pelas monoculturas, queimadas, erosão, tomadas pela braquiária, compactação  etc. 

Mistura para verão/outono
Nesse sistema, misturam-se vários tipos de sementes para serem semeadas no verão/outono. 
Por exemplo:
- 20 kg de milho;
- 10 kg de mucuna preta;
- 10 kg de feijão de porco;
- 10 kg de lab lab;
- 10 kg de guandú
- 10 kg de girassol
- 5 kg de crotalária;
- 5 kg de mamona;
- 5 kg de feijão catador
- 4 kg de painço
- 4 kg de leucena;
- 4 kg de calopogonio;
- 5 kg de soja;
- 4 kg de sorgo
- 2 kg de mileto;
- 0,5 kg de abóbora;
- 2 kg de nabo, etc.


- A mistura pode variar conforme a disponibilidade, o preço e a região.
- A mistura acima é indicada para mais ou menos 1 ha, aproximadamente 100 kg.
- Se for possível encontrar, recomenda-se misturar alguns inoculantes específicos para leguminosas e 5 kg de fosfato natural como o Araxá ou Yoorin e  água suficiente  para peletizar as sementes. Deixar secar por algumas horas. 
 - A semeação deve ser feita a lanço, em terra bem preparada e calcareada, se necessário, e  a incorporação com grade leve ou dependendo da área, com rastelo
- A eliminação do coquetel pode ser realizada com aproximadamente 150 dias, no início do florescimento da mucuna preta, colhendo antes manualmente o  milho e o girassol. 
- A produção de massa verde será de 50 a 70 ton/ha.
- Também é possível deixar o ciclo das plantas finalizar, com o objetivo de colher as sementes. 
- Assim a produção de massa verde será de 100 a 150 ton/ha. 
- A incorporação pode ser feita superficialmente, com grade em caso de plantio de plantas de porte grande. Em culturas menores, que precisam ser semeadas em canteiros, deve ser usada a enxada rotativa. Quando se incorpora mais profundamente, deve-se deixar a massa verde mais tempo (30 a 60 dias) para se decompor antes da semeação.
- A idéia de misturar vários tipos de plantas é como se fosse uma floresta tropical criada em 5 a 6 meses. Cada tipo de planta em um sistema de raízes diferentes. 
- O conjunto de raízes explora cada cm cúbico do solo e subsolo fazendo uma extratificação do solo. Cada planta tem uma capacidade diferente de extrair os minerais. 
- O conjunto de plantas traz de volta todo complexo de elementos perdidos que as próximas culturas precisam.

 
Para o outono e início de inverno 
Podemos semear uma mistura mais adaptada ao frio e a dias mais curtos, por examplo:

- nabo 2 a 4 kg;
- cereais do inverno como aveia, centeio, cevada, trigo, triticali, trigo morisco, totalizando mais ou menos 60 kg;
- milho 20 kg;
- girassol 4 kg;
- soja 15 kg;
- sorgo 5 kg;
- milheto 2 kg;
- abobora e sobras de sementes de verduras 3 kg etc.

- No sul pode se pensar em trevo, tremoso, alfafa, mostarda, etc. No Inverno a cultura deve ser irrigado. 
- Irrigar uma vez para nascer e mais duas vezes durante o ciclo é suficiente.

Além da extratificação do subsolo, o coquetel faz milagres na superfície também.

 Com a grande diversidade de plantas obtém-se uma grande diversidade de insetos formando um equilíbrio para o controle das pragas nas culturas seguintes.

 * Em Botucatu conseguiram plantar várias culturas de verdura em seguida, sem precisar de incorporação de esterco. As análises do solo antes e depois mostraram uma boa melhora no pH, P, K, Ca, Mg , microelementos e material orgânico.

- Desenvolvido pelo engenheiro agrônomo René Piamonte, do Instituto Biodinâmico de Botucatu, SP.


Nenhum comentário:

Postar um comentário